A incessante busca por uma “perfeição irreal”...

Estamos em pleno século XXI, ainda nesse momento de tantas mudanças sociais, reconstruções e desconstruções de ideais erroneamente ditados em nossa sociedade através da história, algo que atualmente segue em frequente e continua perpetuação na mente humana é a “busca por perfeição”.


A imposição por padrões de beleza, trata-se de uma repetição sequencial presente em todos os momentos históricos e revoluções vividas na humanidade, porém estamos em pleno colapso de uma busca incessante sem limites por “padrões irreais” dos quais são impostos diariamente como um catálogo nas redes sociais.


Um padrão de beleza antes ditado através de meios de comunicação como emissoras e programas de televisão, revistas e programas de rádio e sabemos que agora foram adaptados aos meios de comunicação virtuais em tempos reais, são bombardeios contínuos de informações e imagens a todo instante, desde ao acordar até adormecer, firmando assim um padrões de repetitivos e diários, onde nós acabamos nos tornado os nossos próprios algozes. Afinal ao deslizar com nosso polegar ou indicador na tela de nossos próprios aparelhos celulares é o que nos faz estarmos consumindo um padrão de beleza irreal, tóxico, comparativo e repleto de distorção e edição de imagem.


Seria uma situação mais que injusta, estar se comparando a uma imagem editada ou uma película cinematográfica devida e meticulosamente tratada para que não haja quaisquer imperfeições. Trata-se dá distorção visual e psicológica que nos faz um comparativo diário, uma exaustão emocional uma busca irreal e inexistente do perfeito.


Somos nós os agentes responsáveis por transgredir esses ideais irreais de métodos de padronização da humanidade, devemos pensar de uma maneira que as imperfeições são nossas maiores dádivas porque elas, que nos tornam uma identidade única e singular, afinal imagine se todos fôssemos iguais que planeta mais monótono e sem graça seria a Terra.


A diversidade cultural, étnica, orientação sexual, pensamentos e ideias e o salientado nesse post-blog a diversidade de beleza estética são o que nós tornam uma sociedade mais plural e cheia de vida, histórias e nos trazem nossa identidade mediante a sermos seres tão singulares e cheios de especificidades e particularidades.



A centralidade desse texto de domingo à noite está em autoestima, autoaceitação e a busca por autoconhecimento interno. Quando você estiver à procura de transformação estética, este é um dilema unicamente interno e seu. Esse será um ponto de agregar uma melhora significativa de autoimagem correlacionado a si, e não apenas um molde social pré-estabelecido por redes sociais, mídia e um consumo excessivo de padrões criados para fazer com que nunca nenhum de nós possamos nos sentir confortáveis e bem “no corpo em que habitamos”.

Essa reflexão é um desabafo interno de quem por anos sofreu as tantas interferências emocionais e psicológicas de uma autopunição por não estar de acordo com os “padrões ocidentais de beleza e estética”, mas a liberdade desses “ideias irreais” é somente atingida com consumo diário de livros, filmes, documentários e artigos confiáveis sobre tais assuntos e principalmente a grande ajuda e apoio de um profissionais da saúde capacitados para esse tratamento que darão as diretrizes necessárias a cada necessidade de cada um de nós, tais como terapeuta e psicólogos ou psiquiatra serão discutido e abordados em consultas o tema de maneira que seja sanado aos poucos internamente com paciência e cuidados com esses profissionais especializados a sua questão consigo.

Chegará então na resposta a esse por quê?

A resposta será definida entre vocês e o profissional da saúde, juntos. Afinal o tema nesse texto abordado, trata-se de algo que não é interessante dentro de uma sociedade de consumo tal como a que vivemos. O que estou em busca de te dizer, trata-se de um caminho árduo, mas não solitário porque atualmente já existem muitos de nós que despertaram para tais “Des-padronizações consciente” e hoje existe algo que antigamente não era visto por uma sociedade, como a prática do acompanhamento de médico especializados para tal situação.

Falo por experiência própria porque me trato já a mais de cinco anos, o auxílio da terapia mudou demais essa tratativa em minha vida. Ajudou a fazer com que me observasse e amasse a pessoa a quem eu vejo no espelho hoje.


No início do processo é algo doloroso, ao caminho fica esclarecedor e ao mesmo tempo desafiador e espero um dia que tudo venha a se tornar uma lembrança e não haverão mais tristezas e apenas comemoraremos com alegrias de um despertar libertador!





32 visualizações0 comentário